quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Emudeci


Sempre esperei ver-me à mercê da mudez, não do encarceramento de palavras, mas do meu emudecimento perante a beleza das tuas falas bem faladas junto ao meu coração.
Desenhaste-me um poema num grão de areia, ofertado na pétala de uma rosa vermelha, e, claro está, emudeci! Quero retribuir-me e não consigo, de me ver assim, intrincada num redemoinho de emoções, onde o grito e as palavras mais bonitas, as que tenho guardadas só para ti debaixo da pele, no silêncio mais profundo do oceano, ficam muito aquém do turbilhão de sentimentos em que me depus após o teu olhar ter mergulhado no meu (a)mar.
Mas aqui, do lado oposto da encosta, permito-me confidenciar-te tamanha inconfidência.

1 comentário: